top of page
  • Foto do escritorJúlia Chaves

Alzira Soriano e a Prefeitura Municipal de Lajes - Palácio Alzira Soriano

A sede do mandato da primeira prefeita da América Latina


Júlia Chaves Nunes de Carvalho

Arquiteta e Urbanista, Mestre em Arquitetura e Conservação e Sócia efetiva do IHGRN.


Prefeitura Municipal de Lajes - Google Street View, 2024

Com a celebração do Dia da Mulher, o destaque de hoje é o Palácio Alzira Soriano, edificação histórica na cidade de Lajes-RN que foi cenário de uma conquista feminina de grandíssima importância internacional. A Prefeitura Municipal de Lajes, inaugurada em 1925, foi o local onde a política Alzira Soriano exerceu seu mandato, tornando-se a primeira prefeita da América Latina e deixando um legado inspirador para as futuras gerações. Essa construção eclética se tornou um símbolo na história política do Brasil, representando a persistência e a coragem das mulheres em conquistar seu espaço. O legado de Alzira Soriano e a história do município estão refletidos nos elementos arquitetônicos desse edifício, sendo este o foco do artigo de hoje da Quinta Potiguar.

Localizado na mesorregião Central Potiguar, o município de Lajes teve o início de sua ocupação por volta de 1825, com a fundação da fazenda de Francisco Pedro de Gomes Melo no local. Devido à sua posição estratégica entre o litoral do Rio Grande do Norte e o sertão potiguar, tornou-se rapidamente um ponto de encontro e parada essencial para viajantes no século XIX. Com o progresso da região, Lajes foi designada como Distrito do Município de Jardim de Angicos em 1895 e, em 1913, foi elevada à categoria de sede do município, embora oficialmente ainda permanecesse como distrito.

Essa decisão de transferência da sede foi certamente influenciada pela escolha do povoado para abrigar uma das maiores estações ferroviárias da Ferrovia Central do Rio Grande do Norte. A construção da Estação de Lajes começou em 1914 e foi concluída no ano seguinte. Em 15 de setembro de 1918, a linha férrea Sampaio Correia passou a operar, conectando Ceará Mirim ao Seridó. Com a linha férrea impulsionando a importância da vila, Lajes foi elevada à categoria de município em 1923, incluindo Jardim de Angicos como distrito de seu município. Desta forma, dois anos depois, a edificação com arquitetura eclética foi inaugurada para abrigar a nova da Prefeitura Municipal de Lajes.

Posse de Alzira Soriano na Prefeitura Municipal de Lajes

Neste cenário de prosperidade e desenvolvimento, desponta o nome de Luíza Alzira Texeira Soriano, nascida em Jardim de Angicos, em 1896, em uma família politicamente influente na região. Após se tornar viúva aos 22 anos, retornou ao município com seus filhos para gerir a fazenda familiar e logo passou a colaborar na carreira política de seu pai, o coronel Miguel Teixeira de Vasconcelos. No início de 1928, Alzira encontrou-se com a advogada e pioneira do movimento feminista no Brasil, a paulista Bertha Lutz. Nesse encontro, que marcaria a história das mulheres na política da América Latina, Lutz identificou o potencial de Soriano e suas conexões políticas e, junto com o Senador Juvenal Lamartine, a incentivou a se candidatar nas próximas eleições que ocorreriam no final daquele ano.

Em um período em que a participação política feminina era rara, a candidatura de Alzira Soriano só se tornou realidade graças à Lei Estadual 660, de 1927. O governador Augusto Bezerra de Medeiros possibilitou que mulheres participassem da política no RN ao interpretar cuidadosamente a Constituição de 1891, que mencionava apenas "Cidadãos" sem fazer distinção de gênero. Dessa forma, Soriano se candidatou pelo Partido Republicano e recebeu o importante apoio do Senador Juvenal Lamartine, sendo eleita com 60% dos votos válidos, que ainda não incluíam os votos femininos.

Alzira Soriano - Fonte: G1.com

Ao assumir o cargo em 1º de janeiro de 1929, na recém-inaugurada sede da Prefeitura, Alzira Soriano tornou-se a primeira prefeita da América Latina, um feito que repercutiu internacionalmente. Sua gestão breve, com duração de apenas 7 meses, foi caracterizada por decisões políticas inovadoras, diálogo com opositores e um grande esforço para envolver intelectuais na política, visando transformar setores como saúde, educação, urbanização e infraestrutura viária. No entanto, no ano seguinte, em 1930, ocorreu a Revolução de 30, na qual Getúlio Vargas dissolveu os cargos de prefeitos. Soriano, em desacordo com os novos rumos políticos do Brasil, recusou-se a ser nomeada interventora municipal de Lajes.

Alzira retornou à vida política como vereadora somente após a redemocratização em 1945, tendo depois cumprido três mandatos nesse cargo. A influente política potiguar faleceu em 1963, em Natal, após uma corajosa batalha contra o câncer. Seu legado está registrado na história do país, e seu nome se destaca como figura principal do movimento feminista na política brasileira, sendo reconhecida em 2018 com a homenagem póstuma de Mulher - Cidadã Carlota Pereira de Queirós pela Câmara dos Deputados.

A construção da Prefeitura Municipal de Lajes, que teve um papel fundamental na história das luta das mulheres brasileiras, felizmente está preservada e em pleno funcionamento. Erguido em 1925, como indicado em sua fachada, o edifício exibe elementos do estilo eclético, uma corrente europeia que mescla diferentes estilos arquitetônicos do passado e que simbolizava a modernidade e o crescimento do Rio Grande do Norte no início do século XX. A construção da prefeitura, bem como a construção da estação de Lajes eram a materialização desses ideais na região, portanto, incorporaram características desse estilo em suas fachadas, como podemos ver na imagem a seguir.



Em suma, Alzira Soriano deixou um legado de grandíssima magnitude para a história do Rio Grande do Norte e de Lajes, sendo sua coragem e determinação uma fonte de inspiração para as gerações atuais e futuras. O edifício da Prefeitura Municipal de Lajes, atualmente conhecido como Palácio Alzira Soriano, é um símbolo tangível dessa conquista e possui uma significância histórica e social de enorme importância por ter sido palco desse marco pioneiro que representa a luta das mulheres na América Latina. Portanto, é crucial reconhecer a relevância e a necessidade de conservar e preservar esse exemplar tão significativo do patrimônio arquitetônico potiguar.


Palácio Alzira Soriano Prefeitura Municipal de Lajes - Fonte: Gazeta do Povo


 

FONTES:

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. História e fatos. Lajes: Rio Grande do Norte. Brasil: IBGE.

RIO GRANDE DO NORTE. Fundação José Augusto (org.). Personalidade Histórica. In: Alzira Soriano: mulher potiguar - Século XIX. Rio Grande do Norte: FJA, 2000. p. 1-13.

PREFEITURA DE LAJES (Rio Grande do Norte). Emancipação. 2020. Disponível em: https://lajes.rn.gov.br/. Acesso em: 06 fev. 2024.

BRASIL. Deputada Zenaide Maia. LUÍZA ALZIRA TEIXEIRA SORIANO (in memoriam). In: BRASIL. Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher. Câmara dos Deputados (comp.). Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher. Brasília: Brasil.

BRASIL. Centro Cultural Câmara dos Deputados. Câmara dos Deputados (comp.). Mulheres Pioneiras: elas fizeram história. Brasília: Brasil, 2016. 55 p.

BRASIL. Plenarinho da Câmara. Câmara dos Deputados (comp.). Brasileiras Inspiradoras. 4. ed. Brasília: Brasil, 2023. 156 p.

52 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page