• Júlia Chaves

Palácio Felipe Camarão


Palácio Felipe Camarão - Fonte: Arquivo Próprio

Inaugurado em 7 de setembro de 1922, ano que marcou o centenário da indepedência do Brasil, o Palácio Felipe Camarão está localizado na esquina da Av. Ulisses Caldas com o Largo Junqueira Aires e abriga a sede da Prefeitura da Cidade do Natal desde então. Construído com base no estilo aquitetônico eclético projetado pelo arquiteto italiano Miguel Micussi, o palácio foi edificado após a demolição de um casarão de estilo colonial onde funcionou a Presidência da Intendência Municipal de Natal. Esta mudança de estilos arquitetônicos em um mesmo terreno simbolizou a mudança política pela qual o Brasil estava passando diante da recém proclamada república.

Em 1919, o casarão colonial antigo transformou sua função administrativa de Presidência da Intendência Municipal para Prefeitura de Natal, com isso o arquiteto italiano Miguel Micussi foi contratado para projetar uma edificação com o estilo eclético no local da edificação colonial. O casarão antigo foi demolido e em 1922 foi inaugurada a edificação eclética que observamos até hoje, com a função de abrigar a Prefeitura do Natal. O Palácio Felipe Camarão está localizado próximo a Praça 7 de Setembro, onde estão também localizadas as principais edificações administrativas do estado desde a origem da cidade, com excessão atualemente do Governo Estadual que transferiu-se da região para o Centro Administrativo em 1995.

O nome Felipe Camarão só foi oficializado em 1955, através da Lei 359/A (Prefeitura do Natal) em homenagem ao Índio líder dos potiguares, que teve grande influência na expulsão holandesa do Nordeste no século XVII. Antônio Felipe Camarão, lutou bravamente na Batalha dos Guararapes pela defesa do Brasil, sendo nomeado Capitão-Mor de todos os índios pelo Rei de Portugal Felipe IV. Em 2010, a edificação foi tombada de forma isolada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artistico Nacional, o IPHAN e em 30 de junho de 2018 foram autorizadas as obras de restauro do Palácio, que de acordo com o Ministério da Cultura, ainda encontra-se em andamento.

Fachada atual na cor azul - Fonte: Arquivo Próprio

O estilo arquitetônico eclético, caracterizado por ser uma mistura de estilos do passado cobinados, se popularizou por Natal e posteriormente pelos outros municípios do Rio Grande do Norte no início do século XX, refletindo a intenção dos potiguares em dar a região ares de modernidade semelhantes a outras capitais mais desenvolvidas. Nós já falamos aqui no blog sobre o Casarão 479º, na Avenida Deodoro, e a Residência Alves, na cidade de Monte Alegre, que compartilham o mesmo estilo dessa época. Entretanto, a arquitetura do Palácio Felipe Camarão se diferencia por possuir ainda mais misturas de estilos que outros exemplares classificados como ecléticos. Segundo os professores Barbosa e Soares (2020), a edificação tem elementos principais característicos dos estilos gótico, árabe e Art Decó, além da ressignificação dos estilos Barroco e Rococó. Por causa desta grande quantidade de elementos e estilos, alguns se referem a arquitetura como a do Palácio como 'bolo de noiva', em alusão aos enfeites dos bolos de casamentos super decorados. Para a escritora Maria de Fátima Medeiros, o Palácio Felipe Camarão é um "[...] dos mais belos modelos desse estilo de arquitetura em Natal." (1999, p.61).

O Palácio Felipe Camarão é um importante exemplar da arquitetura eclética potiguar pois representa uma época de intensas mudanças social, política e tecnológica em nossa região provocadas pela modernidade advinda da Proclamação da República. É a arquitetura refletindo um tempo. Esta edificação possui um valor histórico imensurável para o Patrimônio Arquitetônico potiguar e merece ser estudada, valorizada e preservada.

Antigo Casarão Colonial - Fonte: Memorial Legislativo

Palácio Felipe Camarão em 1922 - Fonte: StudioMAeC





 

Fontes:


Livros:

CHIRIBOGA, Fernando. Relíquias: patrimônio arquitetônico do nordeste do brasil. Natal / RN: Edição do Autor, 2014. 252 p.

MEDEIROS, Maria de Fátima. Natal: patrimônio histórico e cultural. Natal/RN: Fuly Editora, 1999. 133 p.

Sites:

Câmara dos Deputados. Construtores do Brasil: Felipe Camarão. Disponível em: https://www.camara.leg.br/tv/177613-filipe-camarao/ Acesso em: 10 Fev. 2021

MEDEIROS, Monique. PROJETO DE CONSERVAÇÃO, RESTAURAÇÃO E ADAPTAÇÃO ARQUITETÔNICA DO PALÁCIO FELIPE CAMARÃO, SENDO DESENVOLVIDO PELA STUDIO M. Natal, 02 maio 2018. Facebook: Studio M Arquitetura & Construção. Disponível em: https://www.facebook.com/StudioMAeC/posts/824129501123751 . Acesso em: 10 fev. 2021.

Memorial Legislativo. Trajetória. Câmara Municipal de Natal. Disponível em: https://memorial.cmnat.rn.gov.br/trajetoria/ Acesso em: 11 Fev. 2021

PESSOA, Udymar. Palácio Felipe Camarão. Prefeitura do Natal, Natal. Disponível em: http://www2.natal.rn.gov.br/natal/ctd-670.html Acesso em: 09 Fev. 2021

SOARES, Prof. Dr. Lenin Campos; BARBOSA, Prof. Matheus. História da Arte Potiguar: arquitetura eclética. Natal das Antigas, Natal, 19 dez. 2020. Disponível em: https://www.nataldasantigas.com.br/blog/arquitetura-ecletica-no-rio-grande-do-norte . Acesso em: 10 fev. 2021.

97 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo