• Júlia Chaves

Casarão 479º da Av. Deodoro

Atualizado: 14 de jan. de 2021


Casarão 479º Deodoro - Fonte: Arquivo próprio 2020

Esta semana falaremos sobre uma belíssima edificação histórica na cidade de Natal: O Casarão 479 da Av. Deodoro da Fonseca! Esta edificação potiguar é um modelo bem sucedido de projeto de reuso e restauro de residência com valor patrimonial, além da construção de uma outra edificação no terreno que respeita a individualidade e a história da edificação antiga.

Localizado na Avenida Deodoro, o casarão 479 encontra-se tombado pela Fundação José Augusto desde 1989 e abriga atualmente a sede da DoisA Engenharia. Foi construído em 1916 com o estilo Arquitetônico Eclético, típico desta época em Natal, e teve como primeiro morador o comerciante Irineu Pinheiro. Em 1920, o imóvel foi adquirido pelo Desembargador Joaquim Ferreira Chaves, que viveu lá até o final dos anos 30, quando o casarão foi comprado pelo famoso médico potiguar Varela Santiago. Entretanto, o médico nunca chegou a morar efetivamente no imóvel, alugando-o a vários inquilinos até seu falecimento em 1977.

O trabalho de reúso e requalificação foi feito pela DoisA Engenharia, visando abrigar um memorial na edificação histórica e um novo escritório para a empresa em uma edificação moderna. De acordo com a empresa, o casarão é "uma preciosidade arquitetônica local" (DoisA.com) e precisava ser preservada.

A construção e restauração durou aproximadamente 3 anos, de 2013 à 2016, onde o projeto de restauro teve consultoria do Engenheiro Alcio da Costa Pereira e o projeto de interiores foi assinado pela Arquiteta Olga Portela. Como resultado, o conjunto das edificações atualmente é marcado pelo contraste entre "tradição e modernidade", slogan da empresa DoisA Engenharia. O projeto proporcionou "maior integração entre as equipes, traduzindo-se em um ambiente de trabalho amplo [...] sendo mais dinâmico, produtivo e agradável" (DoisA.com).

Respeito à arquitetura histórica - Fonte: Arquivo Próprio (2020)

É importante destacar neste projeto medidas fundamentais para que a edificação histórica continuasse em destaque mesmo com a adição de outra construção na propriedade, foram importantes algumas medidas que merecem ser citadas. Primeiramente podemos ver a disposição das edificações no terreno, enquanto o casarão está localizado, em destaque, próximo à Av. Deodoro da Fonseca, o prédio moderno foi posicionado aos fundos do terreno, de forma mais discreta; Além do mais, a altura da edificação nova não ultrapassa a altura da residência histórica, com isso, não se sobressaindo perante o casarão; E por último, porém mais importante, a fachada do prédio moderno é toda revestida em vidro espelhado, que reflete todo o fundo do casarão, sendo visível para quem passa pela Avenida Deodoro.

O Casarão 479 continua bem preservado após 4 anos da conclusão de seu restauro, desta fortma, exemplificado a execução de um projeto muito bem sucedido. Infelizmente, esta residência ainda é um dos poucos exemplos de reuso e restauro do patrimônio histórico Potiguar. Apesar disso, esta edificação nos prova que, através de um bom projeto, é possível preservar a nossa história e mesmo assim, manter a edificação funcional para os dias atuais. Adicionalmente, a empresa conseguiu uma sede original, de destaque e que cuida do patrimônio do nosso estado.

 

Fontes:


Agradecimento especial à arquiteta Olga Portela e à engenheira Camilla Cota pela atenção.



106 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo