• Júlia Chaves

Campus Cidade Alta IFRN


Os traços arquitetônicos bem preservados da edificação Campus Cidade Alta do IFRN são de extrema importância para a cultura potiguar. Construído no início do século XX, este prédio já teve diversas funções ao longo de sua história, em sua maioria ligadas a educação. Dentre elas, sua mais longa e famosa função foi ser a sede do Liceu Industrial e a Escola Industrial por mais de 50 anos, ficando conhecida popularmente como Antigo Liceu. Porém, no início do século XXI, após quase 100 anos de história, a edificação encontrava-se infelizmente abandonada e em péssmo estado de conservação. Diante deste cenário, o IFRN reivindicou sua administração e na sequência o prédio passou por grande obra de restauro. Por causa de sua riquíssima história de quase 120 anos e sua arquitetura deslumbrante, a edificação sede do Campus Cidade Alta do IFRN é o tema do Quinta Potiguar de hoje.

Localizada em uma das avenidas mais importantes de Natal, na Avenida Rio Branco, nº 743, a belíssima edificação em estilo eclético foi construída nos primeiros anos do século XX. Não se sabe precisamente a data de sua construção, mas é certo que esta abrigou o Batalhão de Segurança do Estado em seus primeiros anos de funcionamento. Em 1914, o prédio foi cedido à Instituição de Ensino Profissional e, com isso, a edificação passou a abrigar a Escola de Aprendizes Artífices que posteriormente foi renomeada para Liceu Industrial e a Escola Industrial de Natal. Durante a década de 1920 e 1930, o edifício passou por diversas reformas, onde foi ampliado e definitivamente recebeu a fachada na qual conhecemos hoje. Após mais de 50 anos de funcionamento, a Escola Industrial foi transferida para outro local e a edificação ficou primeiramente sob responsabilidade do Instituto Nacional do Livro em 1967 e logo depois passou a pertencer à Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Entre 1976 e 1995, a edificação foi sede da Televisão Universitária (TvU), Associação de Funcionários da UFRN (AFURN) e o Centro Regional de Treinamento e Ação (Crutac). Além disso, até 2008 a edificação abrigava a Associação dos Veteranos da Força Expedicionária de Natal; a Coopercrutac, uma cooperativa de artesãos; e a Associação República das Artes. Contudo, no início do século XXI era claro, em sua arquitetura, o abandono e descaso com a edificação. Diante desta situação, o Centro Federal de Educação Tecnológica do RN (CEFET-RN) decidiu solicitar a posse da edificação em 2007. Nos anos seguintes, o prédio passou por grandes obras de recuperação e restauro, sendo reinaugurado em 23 de setembro de 2009. Esta restauração foi de enorme importância para a cidade pois "[...] contribuiu para requalificação do Centro Cultural de Natal" (IPHAN, s.d.). Desde 1999, o prédio é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e continua pertencendo ao CEFET-RN, que a partir de 2009 passou a ter o nome de Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN). Atualmente, a edificação continua funcionando como Instituição de Ensino, abrigando o Campus IFRN Natal Cidade Alta e além disso, possui uma "[...] galeria de arte, o Museu do Brinquedo e o Memorial do IFRN, abertos à visitação com guiamento." (Costa; Amaral, 2014)


Fachada Antigo Liceu em 2009 - Fonte: Portal IFRN
Fachada atual Campus Cidade Alta IFRN - Fonte: O Beco da Lama

Quanto à arquitetura, o edifício do antigo Liceu possui o estilo eclético. Este estilo arquitetônico se tornou muito popular no início do século XX no Rio Grande do Norte, representando modernidade e expansão da região. Vindo da Europa, o ecletismo é caracterizado pela mistura de estilos do passado, sendo, no caso deste prédio, possível encontrar a influência do neoclássico e do neocolonial. Desta forma, podemos destacar a simetria da edificação, marcada por um imponente pórtico de entrada central, coroado com arco pleno, além de um balcão com guarda corpo decorado por balaústres, janela com bandeira em arco pleno e belíssimo frontão neocolonial. A edificação possui também uma planta baixa geométrica e uma forma quadrada, assim como as demais esquadrias (portas e janelas) retas e simples, sendo de maior dimensão as térreas. O pavimento térreo possui uma textura de friso por toda sua extensão e no primeiro andar é possível encontrar uma decoração em rebaixo simples entre as janelas. Também podemos perceber que a edificação está elevada em relação ao solo e seu telhado aparente ganha destaque com o belíssimo beiral sustentado por mãos-francesas.



Em suma, a edificação do Campus Cidade Alta do IFRN é um belíssimo exemplar eclético do Rio Grande do Norte que felizmente encontra-se em ótimo estado de conservação e preservação, graças a um bem sucedido projeto de restauro e contínuo uso da edificação. Exemplares como este são de extrema importância para a cidade e seu estado, pois contam em seus traços a nossa história. PRECISAMOS PRESERVAR NOSSO PATRIMÔNIO!



Prédio do Liceu na década de 20/30 - Fonte: Portal IFRN

 

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo