• Júlia Chaves

Restauração da Fortaleza dos Reis Magos


Obras de restauro - Fonte: Arquivo Próprio

Construída em 6 de janeiro de 1598 com o objetivo de proteger a costa brasileira de invasores estrangeiros e consolidar o domínio português sobre o nordeste do Brasil, o Forte dos Reis Magos é considerado a edificação símbolo do Rio Grande do Norte e o marco inicial da Cidade de Natal. Na semana passada falamos mais detalhadamente sobre a história da Fortaleza aqui e hoje dedicaremos a nossa Quinta para falarmos sobre as obras de restauro que estão em fase de finalização na Fortaleza. O Blog Júlia Chaves Arquitetura teve a oportunidade de visitar a edificação em 12 de Fevereiro de 2021, e este é o tema desta semana.

Ao custo de aproximadamente R$ 4,7 milhões, viabilizado pelo Governo Cidadão/ Banco Mundial (InterTV 2020), o projeto de restauro do Forte dos Reis Magos é de responsabilidade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e a execução da obra é de responsabilidade da empresa PS Engenharia LTDA. As obras foram iniciadas em outubro de 2018, com conclusão prevista para para novembro de 2019, mas devido a alguns contratempos e paralizações, a nova data de conclusão está prevista para Maio de 2021.


Obras de Restauro da Fortaleza - Fonte: Arquivo Próprio

Apesar da Fortaleza dos Reis Magos estar há mais de 2 anos fechada para visitação pública, as obras de restauro da edificação se mostraram extremamente necessárias para integridade da edificação histórica. Os materiais da Fortaleza, por estar localizada próxima ao mar, sofrem muitos danos causados pelo efeito da maresia e umidade e por isso precisam de um constante trabalho de conservação e restauração. Além disso, a edificação já foi modificada e restaurada várias vezes durante seus 421 anos de história e algumas destas interferências contribuíram para alguns dos problemas identificados na edificação, como por exemplo os danos ao portal de acesso ao calabouço. O engenheiro Alcio Pereira, responsável pela obra, explica em seu livro que "[...] a estrutura de sustentação do portal [...] sobre a qual descansam dois pavimentos inseridos posteriormente à sua construção, concorrendo para a adição de elevada sobrecarga e (desta forma está) provocando sua ruptura parcial." (PEREIRA, 2019)

Pintura antiga x nova - Fonte: Arquivo próprio

Durante nossa visita em fevereiro, acompanhadas pelo arquiteto Carlos Suassuna, encontramos as obras da Fortaleza em fase final de acabamento. O cuidado e a organização da obra ficam evidentes, além do respeito à edificação. Foi implantado um grande canteiro de obras no pátio interno da Fortaleza, com escritório, local para armazenamento e laboratório, onde pudemos ver, entre outros, vários testes de cores de argamassa de forma a encontrar a cor idêntica a original, com o objetivo de consolidar as paredes sem danificar a estética da edificação. É importante destacar a utilização do cal como material para a consolidação das muralhas. O cal já era utilizado no Brasil desde os primeiros tempos da colonização, em fortificações e casarios por todo o território (Kanan, 2009), e de acordo com o Manual de Conservação e Intervenção em Argamassas e Rebocos (2009) a utilização deste material é muito importante para a qualidade da obra de restauração, pois "[...] as argamassas, rebocos e acabamentos antigos à base de cal desempenham importantes funções na estrutura das alvenarias tradicionais e contribuem para a aparência, como também para a conservação muito eficaz do edifício, pois impedem a deterioração do esqueleto, ao absorverem a agressão dos agentes atmosféricos e possibilitarem a manutenção periódica [...]" (Kanan, 2009). Desta forma, a utilização da cal em obras de restauro é recomendada, por manter as características estéticas das edificações e facilitarem a conservação.

Novas instalações - Fonte: Arquivo próprio

Além das muralhas, várias outras áreas também precisaram ser restauradas, dentre elas podemos destacar a consolidação do portal de acesso ao calabouço com a utilização de fibra de carbono, substituição das madeiras da cobertura que estavam em mal estado de conservação, atualização e melhoria das instalações elétricas e hidráulicas. Visando aumentar o fluxo de turistas na edificação, foram adicionados elementos como escadas, elevador, corrimãos, novos banheiros e piso, de forma a cumprir as normas técnicas de acessibilidade e proporcionar maior conforto ao usuário, além da criação de dois espaços para uma loja de suvenir e uma cafeteria.

As obras já se encontram em fase final, faltando apenas, no dia de nossa visita, a instalação da máquina do elevador, poucas partes da muralha à ser pintada e impermeabilizada, uma pequena parte da estrutura da cobertura, que foi encomendada mas devido à pandemia tiveram atrasos, e a finalização das obras de restauro da passarela.

Em resumo, a qualidade e o respeito à grandiosa história da edificação são evidentes no trabalho de execução atual, aspecto fundamental para o sucesso de uma obra de restauro. Outro importante fator é que o estágio de evolução da obra que pudemos verificar mostra que o prazo de conclusão previsto provavelmente será cumprido e em breve conseguiremos voltar a visitar a nossa Fortaleza dos Reis Magos, edificação tão importante para o nosso Rio Grande do Norte.


Obras de Restauro da Fortaleza - Fonte: Arquivo Próprio

 

Fontes:

Livros:

PEREIRA, Alexandre da Costa et al. Estudos de Referência: Casos de Obras de Reabilitação Estrutural em Edificações Patrimoniais. In: PEREIRA, Alexandre da Costa; PEREIRA, Alcio da Costa (org.). Obras de Restauro de Prédios Históricos: coletânea de casos recuperação de edificações patrimoniais. Natal: Ifrn, 2019. p. 1-290. Disponível em: http://memoria.ifrn.edu.br/handle/1044/1765 . Acesso em: 09 mar. 2021

Relatórios Técnicos:

KANAN, Maria Isabel. Manual de conservação e intervenção em argamassas e revestimentos à base de cal. 9. ed. Basília: Iphan, 2008. 172 p. (Programa Monumenta). Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/CadTec8_ConservacaoeIntervencao_m.pdf. Acesso em: 10 mar. 2021.

Sites:

InterTV. Ao custo de R$ 4,7 milhões, Governo do RN assina retomada das obras do Forte dos Reis Magos. G1. 2020 Disponível em: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2020/10/02/ao-custo-de-r-47-milhoes-governo-do-rn-vai-retomar-obras-do-forte-dos-reis-magos.ghtml Acesso: 16 de Fev. 2021

SETUR. Governo autoriza reinício das obras de recuperação do Forte dos Reis Magos. ABIH RN: Associação Brasileira da Industria de Hoteis, Natal, 5 out. 2020. Disponível em: https://www.abihrn.com.br/2020/10/05/governo-autoriza-reinicio-das-obras-de-recuperacao-do-forte-dos-reis-magos/ . Acesso em: 10 mar. 2021.



52 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo